TRANSLATE/TRADUTOR

domingo, abril 22, 2018

CONTRIBUINTE VAI PAGAR GASTOS DE PARLAMENTARES DO PT COM BAJULAÇÃO A LULA

Como aconteceu no dia da denúncia do Ministério Público Federal (MPF) e no velório de Marisa Letícia, o contribuinte vai pagar todas as despesas com a bajulação a Lula na manifestação antes da prisão e nas visitas ao ex-presidente em Curitiba, feitas por parlamentares do PT.
Reportagem do jornal Estado de S. Paulo mostra que deputados e senadores pediram reembolso de passagens de avião, pedágios, corridas de táxi e Uber, além de alimentação desde o dia 5 (quando a ordem de prisão foi expedida) em São Paulo, na região do ABC e em Curitiba. Os valores podem aumentar, porque as bancadas têm 90 dias para enviar às respectivas casas legislativas documentos comprobatórios para pedir reembolso de despesas.
Há pagamentos de pedágio, abastecimento de veículos, táxi e Uber, passagens aéreas compradas às vésperas do voo, pão de queijo, refeições e lanches.
Entre 5 e 7 de abril, o senador Humberto Costa (PE) voou de Brasília para São Paulo e depois para o Recife. Os bilhetes custaram ao Senado R$ 1.463,78. Costa disse, via assessoria, que viajou a São Paulo “no exercício das suas atividades parlamentares” e “atendeu a uma convocação de reunião do comando do PT”, e usou a cota parlamentar para retornar a Pernambuco, seu Estado de origem.
A deputada Maria do Rosário (RS), que gastou R$ 135,36 em corridas de Uber entre São Paulo e São Bernardo nos dias 6 e 7, disse que “as ações e agendas exercidas pelo mandato estão voltadas ao exercício das atribuições políticas parlamentares, cumprindo rigorosamente princípios éticos e regimentais quanto ao uso de recursos da cota estipulada pela Câmara”.
O deputado Sibá Machado (AC) comprou uma passagem aérea no dia 7 por R$ 580,06 de São Paulo para Brasília. Na véspera, tomou um táxi do Aeroporto de Guarulhos até o sindicato no ABC por R$ 228,42. Seu colega de Casa Nelson Pellegrino (BA) comprou passagem de Salvador para São Paulo no dia 6 (R$ 348, 78) e gastou R$ 54,90 numa cafeteria do aeroporto. Machado e Pellegrino não responderam à reportagem até a conclusão desta edição.
No dia 9, o deputado Paulo Teixeira (SP) gastou R$ 165,28 em táxis em Curitiba e São José dos Pinhais, onde fica o aeroporto Afonso Pena, e abasteceu o carro (R$ 140) em São Bernardo no dia 5. Sua assessoria disse que ele participou, no dia 5, de reunião da Executiva Nacional do PT e da bancada em São Bernardo e, no dia 9, esteve em Curitiba para reunião da Comissão Executiva Nacional do PT.
O deputado Vicente Cândido (SP) abasteceu o carro em São Bernardo por R$ 202,17 no dia 7 e, na véspera, pagou R$ 57 por um almoço na cidade. A assessoria confirmou que ele visitou Lula, entre outras atividades.
O gabinete do ex-presidente da Câmara Marco Maia (RS) gastou com combustível R$ 290,02 em São Paulo e R$ 68,40 com pedágios nos dias 6 e 7. Ele disse que foi à vigília convocada pelo PT no sindicato e enviou assessores de carro de Brasília para São Paulo – por isso o pagamento de pedágio e combustível.
DESCONTROLE TOTAL
Câmara e Senado não fiscalizam a aplicação da cota mensal dos parlamentares – cujos valores variam conforme o Estado de origem. Os comprovantes de despesas são verificados apenas na conformidade dos tipos de gastos previstos. Os deputados e senadores são responsáveis pela veracidade e por garantir que a aplicação seja ligada ao mandato, em compromissos políticos, funcionais ou de representação parlamentar. É proibido o uso da verba para fins eleitorais.

Para o economista Gil Castello Branco, da ONG Contas Abertas, é discutível enquadrar como atividade parlamentar despesas com atos em defesa de Lula ou visitas ao petista na cadeia. “A verba é pública e tem que ser usada no exercício da atividade parlamentar”, disse. “As notas podem ser legítimas, o problema é a finalidade. Até que ponto os parlamentares estão dentro do exercício da atividade parlamentar quando estão indo visitar um condenado, cujo processo legal foi cumprido?" Do site Diário do Poder

Sponholz: Diálogo impertinente em Curitiba!

Clique sobre a imagem para vê-la ampliada

sábado, abril 21, 2018

"MOVIMENTO SEGURANÇA NO CAMPO", ORGANIZADO POR PRODUTORES RURAIS, COMEÇA A AGIR E IMPEDE INVASÃO DO MST EM PROPRIEDADE NO NORTE DE MINAS GERAIS.


No Norte de Minas, os produtores rurais deflagraram um movimento de defesa contra invasões do MST do PT e começaram a agir, segundo reportagem do jornal O Estado de Minas que transcrevo a seguir. O grupo de fazendeiros que reagiu à invasão faz parte do "Movimento Segurança no Campo" cuja tendência é se espalhar pelo Brasil. Trata-se, segundo os organizadores, de um movimento pacífico destinado a proteger as propriedades rurais de invasões dos jagunços do MST insuflados pelo PT e demais partidos comunistas. Leiam:

Em um acontecimento inusitado, produtores rurais impediram a invasão de uma fazenda por um grupo liderado pelo Movimento Nacional dos Trabalhadores Sem Terra (MST), (dia 18/04/2018), em Montes Claros, no Norte de Minas. Cerca de 80 pessoas tentaram invadir a Fazenda Bom Jesus (de cerca de 200 hectares), de propriedade da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), localizada na região de Toledo, a cinco quilômetros da área urbana, destinada à implantação de uma área industrial. A ação dos sem-terra foi impedida por cerca de 120 produtores de um movimento denominado “Segurança no Campo”.
O movimento tem cerca de 200 produtores rurais. Seus integrantes informam que se organizaram para defender suas propriedades, temendo que as invasões possam aumentar na região, diante de anúncios de lideranças do MST de que vão ampliar as ocupações após a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ocorrida no último dia 7.
Os sem-terra chegaram à Fazenda Bom Jesus por volta das 6h e começaram a limpar o terreno para a montagem de barracas. Logo em seguida, os produtores rurais ao longo da Estrada da Produção se mobilizaram e também foram para o local, onde colocaram tratores e veículos, impedindo a entrada de colchões, eletrodomésticos, madeira e outros materiais que seriam usados pelas famílias para a montagem do acampamento na propriedade. Eles também impediram a passagem de veículos na estrada, que dá acesso ao distrito de São Pedro das Garças, servindo também como rota alternativa para o município vizinho de Capitão Enéas. O trânsito ficou interditado por sete horas.
O clima ficou tenso e a Polícia Militar foi acionada. Uma pessoa ligada aos produtores rurais retirou da entrada da fazenda o mastro com uma bandeira do MST e colocou no lugar dela uma bandeira do Brasil.  Houve troca de ofensas. “Houve desavenças verbais, mas, com a presença dos policiais, os ânimos se acalmaram”, informou o tenente-coronel Gildásio Rômulo Gonçalves, comandante da 11ª Companhia Independente da PM, que esteve no local.
Com a intermediação da PM e da Comissão de Pastoral da Terra (CPT) e a participação de representantes do MST e do Sindicato Rural de Montes Claros, houve um acordo entre os produtores rurais e trabalhadores sem-terra, que aceitaram deixar o local pacificamente. Eles exigiram que fossem fornecidos pelos produtores dois ônibus e um caminhão-baú, para o transporte dos trabalhadores e dos seus pertences.
As famílias deixaram a propriedade às 16h, em direção a uma área de acampamento já existente, da antiga Fazenda Sanharó, também às margens da Estrada da Produção, a 10 quilômetros da área urbana de Montes Claros. Após saída dos sem-terra, os produtores soltaram fogos para comemorar a “vitória”. Pessoas ligadas aos produtores entraram na área aberta pelos invasores e atearam fogo em varas e restos de papelão que seriam usados no acampamento.

Funcionários das fazendas da região atearam fogo no material que seria usado para instalação do acampamento (foto: Luiz Ribeiro/EM/D.A Press)
REAÇÃO RÁPIDA Segundo o veterinário e produtor Eugênio Teixeira, que participou da mobilização contra os sem-terra nesta quarta-feira e faz parte do grupo, o Movimento Segurança no Campo é pacífico. “Mas, se os sem-terra tentarem invadir nossas propriedades com violência, teremos que reagir à altura. Não queremos isso”, afirmou. Segundo ele, os fazendeiros do Norte de Minas resolveram se unir para defender o direito à propriedade. “Não vamos permitir que marginais – os fora da lei – estejam acima dos cidadãos de bem, que trabalham e produzem”, enfatizou.
O produtor Wilker Lima informou que os integrantes do movimento estão sempre atentos à movimentação do MST na região para uma reação rápida. “Nossa arma é a presença nas propriedades”, afirmou Wilker, lembrando que os produtores querem evitar os conflitos com os sem-terra. “Só queremos o respeito à propriedade privada no campo, da mesma forma como existem propriedades privadas como casas, apartamentos e terrenos na área urbana”, completou o produtor Orlando Machado Pinto.
A reportagem não conseguiu contato com o MST. Em nota, o movimento informa que os trabalhadores ocuparam a Fazenda Bom Jesus, mas “cerca de 20 latifundiários trancaram a estrada que dá acesso à área, cerceando a passagem de água, alimentos e outros itens de necessidade básica”. Do site do jornal Estado de Minas - Reportagem de Luiz Ribeiro

quarta-feira, abril 18, 2018

"QUANDO O GOVERNO TEME O POVO, ALI HÁ LIBERDADE. QUANDO O POVO TEME O GOVERNO, ALI HÁ TIRANIA".


Mais um vídeo sensacional traduzido e legendado pelos Tradutores de Direita. Trata-se de um breve discurso de Mark Robinson, da tribuna da Câmara Municipal de Greensboro, na Carolina do Norte, Estados Unidos. Sim, um simples cidadão que em poucas palavras detona a tese do desarmamento sempre defendida pelos esquerdistas. Vale a pena ver este vídeo de pouco mais de 4 minutos, o suficiente para demolir a tese do desarmamento sempre defendida com unhas e dentes pela vagabundagem comunista. Leiam:

Mark Robinson é um cidadão comum. Ele cresceu e viveu toda sua vida em Greensboro, na Carolina do Norte (EUA). Ele, talvez, nunca tenha estado no Brasil ou sequer saiba muito a respeito de nosso país. Mark, no entanto, descreve com precisão o drama do povo brasileiro arbitrariamente desarmado, feito refém dos assaltantes, sequestradores, estupradores, assassinos e meliantes de todo tipo.

“Somos os primeiros a ser tributados, os últimos a ser levados em consideração, os primeiros a ser punidos sempre que ocorre um tiroteio” – disse Mark a uma poderosa minoria que, no conforto de seus carros blindados e do alto de suas mansões fortificadas, instrumentaliza a tragédia para expandir seu controle sobre a maioria: milhões de cidadãos de bem, trabalhadores, portadores de armas que nunca cometeram um crime.

Mark se recusa a ser uma vítima, se recusa a entregar o controle de sua vida e seu destino nas mãos da minoria. Na tribuna da Câmara Municipal, ele plantou seus pés como uma âncora e bradou sua voz como um trovão, mostrando-se disposto a defender, com unhas e dentes, este que é um direito natural não concedido por nenhum governo, mas pelo próprio Criador aos homens: o direito à vida e à autodefesa.

Que mais homens e mulheres se levantem nas tribunas do Brasil com o espírito de Mark Robinson. É necessário que a minoria volte a temer a maioria para que, assim, se cumpra a justiça e a vida dos justos floresça.

“Quando o governo teme o povo, ali há liberdade. Quando o povo teme o governo, ali há tirania.” [*]

Tradução: hsilver
Revisão: Yuri Mayal

[*] Autor desconhecido, apesar de a frase ser normalmente atribuída a Thomas Jefferson.

terça-feira, abril 17, 2018

Sponholz: No xadrez!

Clique sobre a imagem para vê-la ampliada

PT INTRODUZ EX-SEMINARISTA NO STF PARA TENTAR DERRUBAR BOLSONARO. PRESIDENCIÁVEL MANDA VER DETONANDO O ESQUEMA PELAS REDES SOCIAIS.


O pré-candidato presidencial Jair Messias Bolsonaro veiculou na noite desta segunda-feira pelo Facebook e Twitter o vídeo que está aí acima. A revelação do esquema do PT dentro do Supremo Tribunal Federal (STF) foi assunto de um editorial do jornal O Estado de S. Paulo e o alvo, como não poderia deixar de ser, é o presidenciável Jair Bolsonaro. 

Enlouquecido, o establishment, que tem como ponta de lança os jornalistas da grande mídia, decidiu pegar pesado e sem qualquer escrúpulo e autorizou o PT a devassar o STF e costurar um plano para impedir a todo custo a candidatura do presidenciável Bolsonaro.

Resta saber se caso o golpe for consumado o povo brasileiro vai permanecer deitado em berço esplêndido e as Forças Armadas permanecerão ordeiras e serenas em seus quartéis.

Sponholz: No triplex do Lula.

Clique sobre a imagem para vê-la ampliada

segunda-feira, abril 16, 2018

LULA FICARÁ NA CADEIA POR PELO MENOS 10 ANOS, CALCULAM ESPECIALISTAS EM DIREITO PENAL.


Lula no momento de sua chegada a Curitiba conduzido por agentes federais no dia 7 deste mês de abril de 2018. Foto: Diário do Poder.

A estimativa é de magistrados que não atuam no caso e criminalistas, alguns deles com clientela de investigados na Operação Lava Jato: o ex-presidente Lula permanecerá no sistema carcerário pelo prazo mínimo de dez anos.
Condenado na primeira sentença a 12 anos e 1 mês de prisão, ele teria direito ao regime semiaberto dentro de dois anos, correspondentes a um sexto da pena. Só que não. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.
O problema de Lula é que, réu em outros sete casos, cada nova condenação aumentará o tempo mínimo de permanência na prisão.
Condenado a 10 anos no segundo caso (sitio de Atibaia), por exemplo, a pena vai a 22 e um sexto dela corresponderia a 3 anos e 7 meses.
Há estimativas de até um século de prisão, mas se Lula for sentenciado a 60 anos, isso o manterá no presídio por dez anos, um sexto da pena.
Para ganhar regime domiciliar, a defesa pode alegar questão de saúde, mas o próprio Lula tem propalado que está bem e com vigor de garoto. Do site Diário do Poder

sábado, abril 14, 2018

EM VÍDEO, PRESIDENCIÁVEL JAIR BOLSONARO DESMENTE "O GLOBO" QUE NOTICIOU SEU INTERNAMENTO NO HOSPITAL CENTRAL DO EXÉRCITO NO RIO DE JANEIRO.


O pré-candidato presidencial Jair Messias Bolsonaro divulgou por volta das 21 horas desta sexta-feira vídeo em sua página oficial do Facebook desmentindo de viva voz a notícia do site do jornal O Globo, afirmando que o presidenciável fora internado no Hospital Central do Exército do Rio de Janeiro.

Conforme a matéria que pode ser lida AQUI o site do jornal O Globo afirma que o pré-candidato teria se sentido mal ainda no aeroporto de Roraima onde cumpriu agenda de sua pré-campanha e que por isso foi internado no HCE logo após desembarcar no Rio de Janeiro.

Neste caso O Globo foi o autor de mais uma "fake news", as famigeradas notícias falsas e que o próprio 'O Globo' critica, como de resto toda grande mídia, embora seja a denominada mainstream media useira e vezeira na propagação desse deletério estratagema político.
Facsímile da abertura da matéria no site e O Globo postada às 19:38 desta sexta-feira.

CENAS COM BOLSONARO EM RORAIMA
Clique sobre a imagem para vê-la ampliada

Sponholz: Um candidato que tem passado...!

Clique sobre a imagem para vê-la ampliada